Você sabe o que é indução da ovulação?

fertilidade

Os óvulos são as células sexuais femininas responsáveis pela reprodução. A cada ciclo menstrual um óvulo maduro, ou seja, apto para ser fecundado e se tornar embrião, é liberado.

Esse processo, chamado de ovulação, ocorre durante a fase reprodutiva da mulher, que ocorre da adolescência à menopausa.

Na fertilização in vitro (FIV), é necessário a realização da indução da ovulação, que, como o nome sugere, é um procedimento que leva a uma liberação acima da média do número de gametas femininos.

Isso porque, no ciclo natural, é liberado apenas um óvulo por vez.

Ao garantir a coleta de uma quantidade considerável de gametas de uma vez, o método possibilita um aumento considerável das chances de bons resultados na FIV.

Como funciona

A indução da ovulação, também chamada de estimulação ovariana, é um dos procedimentos mais importantes na realização da fertilização in vitro (FIV).

Ele possibilita maior chance de sucesso do tratamento, já que os óvulos coletados são analisados e selecionados de acordo com a sua qualidade. Com isso, uma menor quantidade de embriões são implantados no útero, diminuindo o risco de gravidez múltipla.

Deve ser utilizado por mulheres que apresentem distúrbios hormonais, como dificuldade ou mesmo ausência de ovulação, síndrome do ovário policístico (SOP), dentre outros. Além da FIV, a indução da ovulação também é muito utilizada em outras técnicas de reprodução assistida, como a inseminação artificial (IA).

Saiba como funciona cada etapa do processo:

Dosagem de hormônios

Depois da realização de todos os exames e procedimentos necessários, o tratamento da fertilização in vitro (FIV) começa com a aplicação de de injeções com o hormônio folículo estimulante (FSH) na mulher.

A quantidade da dosagem é determinada pelo médico responsável, e tem duração média de 10 a 12 dias, com periodicidade diária.

Realização de ultrassom

Durante o uso dos medicamentos, são realizados diversas ultrassonografias para acompanhar o crescimento dos folículos pela indução.

Os profissionais costumam indicar, em média, de três a quatro exames nesse período.

Injeção para a maturação

Quando os folículos atingem o tamanho adequado, ou seja, estão aptos para a fecundação, o último passo é a injeção hCG. Ela induz o amadurecimento dos óvulos e a liberação deles para coleta, que ocorre após 36 horas.

A partir daí, os óvulos são levados para o laboratório, onde são analisados e selecionados de acordo com a sua qualidade.

Qualidade dos óvulos

A qualidade dos óvulos é determinante no processo de fertilização in vitro (FIV). Por isso, ao serem coletados, os gametas passam por uma série de avaliações morfológicas, que avaliam características físicas e estruturais das células.

Os principais fatores que intervém na qualidade dos óvulos são de origem genética e resultantes de procedimentos cirúrgicos ou tratamentos médicos, como a quimioterapia.

Além disso, a idade da mulher é fator importante, já que a carga genética vai sendo alterada com o tempo.

Indução da ovulação para outros tratamentos

Não é só a fertilização in vitro (FIV) que se serve da indução da ovulação. Nas técnicas em que a fecundação ocorre de forma natural, ou seja, no corpo da mulher, o método é também muito útil, como no coito programado ou na inseminação artificial (IA).

Em ambos os casos, é necessário o mesmo tipo de preparação: dosagem de hormônios, acompanhamento médico e maturação dos óvulos.

No coito programado, a relação sexual é literalmente programada para o período em que os óvulos já maduros são liberados. Na inseminação (IA), os espermatozoides são inseridos no corpo por meio de uma seringa.

Contraindicações

Efeitos colaterais e riscos para a saúde são dúvidas comuns quando se trata da indução da ovulação.

Mesmo sendo uma técnica simples e de baixa complexidade, o procedimento pode causar uma série de desconfortos antes e depois da coleta dos óvulos, no caso da fertilização in vitro (FIV).

Nas técnicas de reprodução em que a fecundação é realizada de forma natural, como o coito programado e a inseminação, o maior risco é a de gravidez múltipla, já que são liberados diversos óvulos de uma vez só.

Por isso, o procedimento precisa ser indicado e acompanhado por um profissional qualificado.

Como vimos nesse post, a indução da ovulação é um procedimento importante para diversas técnicas de reprodução assistida.

Na fertilização in vitro (FIV), ele permite a coleta e seleção dos melhores gametas, que serão fecundados em laboratório. Já na inseminação artificial (IA) e no coito programado, ela aumenta as chances de fecundação natural. Por consistir numa dosagem considerável de hormônios, é importante contar com o acompanhamento médico.

Se você tem interesse em realizar o procedimento, agende uma consulta conosco.

Leia também o nosso post sobre a Síndrome de Hiperestimulação Ovariana, condição que afeta diversas mulheres.

Equipe Médica Revisora do Texto

Dra. Hérica Mendonça, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.

Deixar comentários