Para quem é indicado a Fertilização in vitro?

Quem pode fazer FIV

A Fertilização in Vitro (FIV) é a principal técnica de reprodução assistida existente. O método surgiu na Inglaterra em 1978 e foi trazido ao Brasil em 1983, oferecendo a possibilidade de ter filhos a milhares de casais que sofrem com a infertilidade.

De maneira simples, a FIV consiste em retirar óvulos dos ovários e fertilizá-los em laboratório a partir dos espermatozoides do parceiro. Depois de um período de incubação que varia de 2 a 6 dias, os óvulos fecundados – chamados de embriões – são colocados dentro do útero da mulher.

 

Para quem a Fertilização in Vitro é indicada?

Veja abaixo alguns casos onde a Fertilização in Vitro pode ser utilizada para a concepção segura e da gravidez:

 

Casais com infertilidade ou dificuldades para engravidar

A infertilidade é definida pelos médicos como a dificuldades em conceber ou manter uma gestação após um ano de tentativas sem o uso de métodos contraceptivos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, existem de 60 a 80 milhões de casais com problemas de fertilidade em todo o mundo.

De maneira geral, a infertilidade pode atingir homens e mulheres. Dentre as principais causas estão a endometriose, infecções pélvicas, obstrução das trompas, alterações na tireoide, falta de ovulação e a diminuição de espermatozoides no sêmen, no caso da infertilidade masculina.

Para casais com dificuldades para engravidar, a Fertilização in Vitro pode ser uma poderosa aliada. Como o processo de fecundação é feito em laboratório e o embrião é colocado dentro do útero da mulher, a FIV acaba sendo um método mais ágil de geração da gravidez, evitando possíveis desgastes emocionais e físicos ao casal. Além disso, a FIV possui mais chances de sucesso – em mulheres com até 35 anos os índices são de 50% a 60% e, aos 40, passam para 20% a 30%.

 

Casais homoafetivos femininos e masculinos

Com a pluralidade dos relacionamentos amorosos, têm crescido o número de casais homoafetivos que buscam a Fertilização in Vitro como solução para engravidar. No caso dos casais femininos, a FIV é realizada a partir da doação do sêmen de um banco totalmente seguro e sigiloso. O procedimento da fecundação é o mesmo mas, dessa vez, qualquer uma das parceiras poderá receber o embrião gerado em laboratório e conduzir a gravidez.

Para casais masculinos, a situação é um pouco mais complexa. Além da doação de sêmen de um dos parceiros e da obtenção do óvulo de doadoras anônimas, o casal deve possuir o chamado útero de substituição, onde uma mulher com até 50 anos e com algum grau de parentesco com um dos parceiros precisará ceder o seu útero para a implantação do embrião e, assim, levar adiante a gravidez.

 

Pacientes oncológicos

A Fertilização in Vitro também é indicada para homens e mulheres diagnosticados com câncer. Como o tratamento para a doença é bastante agressivo e pode destruir a reserva de ovários e a produção de espermatozóides, o mais indicado é que, antes mesmo do início das sessões de quimio ou radioterapia, os gametas sejam coletados e preservados – a chamada criopreservação, que permite conservar células a temperaturas muito baixas por um longo período de tempo.

Assim, os gametas podem ser utilizados no futuro para a concepção de uma gravidez através da FIV.

 

Produção independente

Para mulheres que optam pela chamada “produção independente” – ou seja, escolhem engravidar sem a presença de um parceiro – a Fertilização in Vitro também é uma alternativa válida. Neste caso, o processo também consiste em recorrer à obtenção do gameta masculino através de um banco de sêmen.

É importante ressaltar que os sêmens disponíveis no banco de doação são categorizados de maneira anônima, e que a doação é feita de forma totalmente segura, com a realização de exames e testes rigorosos com o doador e com o material colhido.

 

Mulheres que querem engravidar após os 35 anos de idade

Para mulheres que decidem ser mães após os 35 anos de idade, a Fertilização in Vitro também é uma das principais alternativas. Como a fertilidade feminina diminui drasticamente a partir dos 35 anos, o ideal é recorrer à criopreservação dos óvulos enquanto a mulher ainda está jovem e no ápice da sua idade fértil.

No futuro, os óvulos podem ser fecundados através da FIV e a gestação pode ocorrer normalmente em qualquer período ou idade da mulher.

 

Quer saber mais sobre a FIV?

Para saber mais sobre a Fertilização in Vitro leia o nosso post sobre as chances de sucesso do tratamento e também assine a nossa newsletter para sempre receber nossos novos conteúdos!

Equipe Médica Revisora do Texto

Dr. Ricardo Marinho, Dra. Hérica Mendonça, Dra. Leci Amorim, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.

Deixar comentários