O que é Fertilização in Vitro – FIV

fiv

A Fertilização in Vitro, ou a “FIV”, é um dos tratamentos de reprodução humana mais realizados atualmente. O procedimento oferece mais chances de gravidez para aqueles que enfrentam dificuldades de engravidar, ou seja, pessoas que estão tentando há mais de um ano.

O termo pode assustar no primeiro momento, principalmente porque muitas pessoas desconhecem os detalhes do procedimento. Muitos casais têm medo do suposto alto custo e não sabem muito bem se a técnica dá resultados mesmo ou se é a mais adequada para seu caso.

As dúvidas são muitas! Afinal, quem pode fazer Fertilização In Vitro? Como funciona o método? Existe alguma maneira acessível de pagar pelo procedimento? Onde eu posso fazer? Vamos responder essas (e muitas outras dúvidas) agora!

O que é fertilização in vitro?

A Fertilização in Vitro (FIV) é um tratamento no qual esperma e óvulos são combinados em um laboratório. Resultando em embriões que são analisados e, um ou mais, são inseridos no útero da mulher. A FIV é o procedimento high-tech mais comum em tratamentos de reprodução assistida e fertilidade. 

O método foi feito de maneira bem sucedida pela primeira vez na Inglaterra, em 1978. Inicialmente, era utilizado apenas para tratar a infertilidade causada por tubas uterinas bloqueadas. Hoje em dia, a FIV se desenvolveu e tornou-se um procedimento eficiente para as mais diversas causas de infertilidade, para pacientes oncológicos e também para casais homoafetivos.

Como é feita a Fertilização in Vitro

Para compreender o procedimento, é necessário entender o processo natural de concepção. No meio de um ciclo menstrual normal, um óvulo é liberado desde o ovário até as tubas uterinas – onde a fertilização acontece. O óvulo fertilizado permanece ali por dias, enquanto se divide e torna-se um embrião. Depois, o embrião adentra o útero e implanta-se na parede uterina. 

Na FIV, os ovários são estimulados com medicamentos para induzir a produção de óvulos múltiplos. Ultrassons endovaginais e exames de sangue feitos durante esse tempo ajudam a determinar quando os óvulos estão maduros. 

Nesse ponto, eles são coletados por meio da punção ovariana: o médico irá aplicar uma anestesia e inserir um ultrassom endovaginal, identificar os folículos e retirar os óvulos com uma fina agulha. Normalmente, cerca de 8 a 15 óvulos são coletados. É possível que a paciente tenha um pouco de cólica nos dias posteriores, mas a maioria das mulheres já sentem-se melhores rapidamente. 

Os óvulos fertilizados com o esperma do parceiro, ou doador. No dia seguinte, esses óvulos são examinados para conferir se a fertilização foi bem sucedida. Se sim, eles são deixados na placa para que se dividam e tornem-se embriões. 

Depois de vários dias, um ou mais embriões são colocados no útero da mulher por meio de um cateter em seu colo, em geral, esse procedimento possui um nível de incômodo similar a um exame de prevenção do câncer de colo. 

Quando eu devo considerar a FIV?

A Fertilização in Vitro tornou-se uma alternativa para várias pessoas e casais, ela tornou a possibilidade de ter um filho algo possível para aqueles que por algum motivo não conseguem, ou não podem, engravidar de maneira natural. 

Mas afinal? Quando se deve considerar a FIV? 

Em linhas gerais, a Fertilização in Vitro pode ser considerada nos seguintes casos:

  • Quando o casal mantém relações sexuais desprotegidas (de 2 a 3 vezes por semana) há mais de um ano e não conseguiram engravidar
  • Quando a mulher tem mais de 30 anos de idade
  • Se a mulher possui os ciclos menstruais muito irregulares
  • Quando a mulheres têm endometriose severa, ovários policísticos, ou está com as tubas uterinas bloqueadas
  • Se o homem tem uma baixa contagem de esperma (quantidade ou qualidade baixas)
  • Quando a mulher não produz óvulos saudáveis

Além de todos esses casos clínicos, a Fertilização in Vitro também pode ser uma excelente opção para pessoas que precisarão passar por algum tipo de tratamento oncológico e por casais homoafetivos. 

Para os pacientes oncológicos é possível fazer a criopreservação dos gametas antes de se iniciar o tratamento, mantendo assim a fertilidade do paciente e sendo possível fazer o procedimento de FIV após a conclusão do tratamento oncológico. 

No caso dos casais homoafetivos, a fertilização é uma excelente aliada para a realização do sonho de se ter um filho. Hoje em dia, a legislação já permite que os casais possam ter seus filhos através de doação de sêmen (para casais femininos) ou útero de substituição (para casais masculinos).

Conheça a FIV Acessível

O preço de procedimentos como a Fertilização in Vitro podem assustar muitas pessoas, principalmente por estar fora das condições de muitos casais. No entanto, hoje em dia, muitas clínicas oferecem o tratamento de maneira acessível para que mais pessoas possam realizar os seus sonhos. 

Nós do Pró-Fiv, por exemplo, temos um serviço com condições de pagamento diferenciadas, adequando-se à realidade econômica de casais que querem engravidar. Os critérios para participar do nosso FIV Acessível é bem simples: os casais devem ter indicação médica para a realização da fertilização in vitro, ter renda familiar até R$5.000,00 e bens até R$140.000,00.

Entre em contato conosco!

Se você se encaixa nesses critérios e gostaria de saber mais sobre a Fertilização in Vitro, fique a vontade para entrar em contato conosco para tirar suas dúvidas!

Equipe Médica Revisora do Texto

Dra. Hérica Mendonça, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.

Deixar comentários