Conheça os 3 principais motivos da infertilidade

Principais motivas da infertilidade

Em média, cerca de 15% dos casais têm dificuldades para engravidar mesmo após um ano sem uso de qualquer método contraceptivo. Para que aconteça a concepção natural, várias etapas precisam ocorrer em um balé de perfeita sincronia: desde a liberação do óvulo e de sua migração para a trompa, até a qualidade e a quantidade de espermatozoides no sêmen. Dessa forma, as chances de que um casal saudável possa começar a esperar pelo tão sonhado bebê são de apenas 20% por mês.

Além dessas dificuldades naturais, alguns casais ainda precisam lutar contra a infertilidade, cujas causas se encontram, em 40% dos casos na mulher; em outros 40% nos homens; e, nos 20% restantes, em combinações de problemas no casal ou devido a fatores não esclarecidos.

Por isso, se você, futura mamãe ou papai, anda preocupado e acha que pode ter alguma coisa errada, aprenda, a seguir, os três principais motivos para a infertilidade e conheça os tratamentos disponíveis para te ajudar a realizar seu sonho!

 

Obstrução nas trompas

As tubas uterinas, ou trompas, podem apresentar algum tipo de obstrução ou alteração na função, e impedir tanto a chegada dos espermatozoides ao óvulo quanto do óvulo à trompa, não permitindo o encontro dos dois e, consequentemente, impedindo a gravidez. Essas obstruções podem ter diversas causas, como cicatrizes de laqueaduras anteriores ou doença inflamatória pélvica, consequência de doenças sexualmente transmissíveis.

Mas não se preocupe, há uma solução: Em alguns casos selecionados pode-se tentar uma cirurgia laparoscópica, na qual a tuba uterina é aberta e a fertilidade restaurada. E mesmo se a cirurgia não for bem sucedida, ou não for uma indicação, as técnicas de fertilização in vitro (FIV) podem ser usadas, com a coleta dos óvulos diretamente nos ovários e colocação do embrião, após fecundação, no útero da futura mamãe.

 

Problemas no sêmen

Para a fecundação natural, tanto a quantidade quanto a qualidade dos espermatozoides do futuro papai devem ser adequadas. Caso isso não aconteça, pode-se detectar, com o auxílio de um exame chamado espermograma. Poucos espermatozoides, sejam eles lentos ou até com formatos estranhos podem ser a explicação da infertilidade.

As causas são diversas, incluindo reações imunológicas contra o espermatozoide e a exposição dos testículos a altas temperaturas, comum em profissões como caminhoneiros, metalúrgicos e cozinheiros. Ou idiopática, ou seja, sem causa específica.

A solução são os medicamentos que podem aumentar a produção de espermatozoide, indicados em casos específicos, e a FIV,  já que funciona como um atalho para o espermatozoide, não dependendo da quantidade disponível nem de sua velocidade.

Caso o espermatozoide realmente não seja saudável para a fecundação, pode-se utilizar esperma disponível em bancos. Nesse caso, as taxas de sucesso variam de 5 a 25% por ciclo se for realizada a inseminação intra uterina.

 

Falta de ovulação

Todo mês, uma mudança precisa ocorrer no corpo da mulher, preparando-a para uma possível gestação. Porém, esse processo é delicado, e qualquer distúrbio hormonal impede que a ovulação ocorra adequadamente, impedindo que o óvulo seja liberado no ciclo menstrual.

Além de provocar infertilidade, esse desequilíbrio também torna o ciclo menstrual irregular, altera o fluxo de sangue e pode, no caso da síndrome do ovário policístico, produzir acne, queda de cabelo e aumento de pelos no rosto e no corpo da mulher.

Em mulheres a partir dos quarenta anos é importante considerar também que essas alterações hormonais podem se dar devido à chegada da menopausa.

Nessa situação, o tratamento é feito com indutores da ovulação que induzem a ovulação e aumentam a chance de fecundação. Caso isso não funcione, no entanto, a fertilização in vitro continua sendo a grande esperança. Os estudos variam, mas de 20 a 60% das mulheres com problemas de ovulação conseguem engravidar por esse método.

Engravidar no primeiro mês de tentativa não é comum, mas enquanto o bebê não chega, a preocupação só aumenta. É tranquilizador saber que a maioria dos problemas de fertilidade tem solução ou podem, ao menos, ser contornados por outras técnicas como a fertilização in vitro ou uso de óvulos ou espermas doados.

Caso não engravide após um ano, o casal não deve hesitar em procurar um médico ou clínica de confiança e realizar uma avaliação geral, para identificar qualquer causa para a infertilidade, tanto no homem quanto na mulher. Com a realização dos tratamentos recomendados e consideração de todas as alternativas disponíveis, o sonho de ter um filho pode se realizar!

Se ainda tiver ficado com alguma dúvida a respeito dos principais motivos da infertilidade ou se quiser compartilhar sua experiência conosco, deixe o seu comentário!

Equipe Médica Revisora do Texto

Dra. Hérica Mendonça, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.

Deixar comentários