Conheça mais sobre a coleta de óvulos na FIV

coleta-ovulos

A qualidade dos óvulos é determinante para o sucesso do tratamento de fertilização in vitro (FIV), em que o embrião é fecundado no laboratório. São diversos os fatores que interferem nas características dos gametas femininos, como os genéticos e a idade da mulher, por exemplo.

Nessa técnica de reprodução assistida, os óvulos podem tanto ser da própria mulher que será responsável pela gestação quanto de doação. Em qualquer uma das situações, a coleta, também chamada de punção ovariana, é um passo importante.

Essa é também uma das etapas mais delicadas, já que é preciso que a mulher faça uma série de preparações que garantam a realização do procedimento.

O que é a coleta de óvulos

Como o próprio nome sugere, a coleta ou punção de óvulos consiste em um procedimento no qual os óvulos são retirados dos ovários. Os gametas são levados para o laboratório, onde são analisados e selecionados para, posteriormente, serem fecundados pelos espermatozoides. Assim, surgem os embriões que serão reimplantados no útero.

Como funciona cada etapa do procedimento

Estimulação ovariana

A cada ciclo menstrual, o corpo da mulher libera um óvulo para a fecundação até que eles se esgotem. Esse é um processo natural que ocorre mensalmente, contudo, é liberado apenas um em cada ciclo.

Para a realização da fertilização in vitro (FIV), é preciso uma maior quantidade desses gametas, para que sejam escolhidos os melhores.

Para isso é necessária a estimulação ovariana, procedimento no qual os ovários passam a amadurecer uma maior quantidade de folículos, responsáveis pela liberação dos óvulos, em um único ciclo.

Ela consiste na prescrição de hormônios para a paciente, que fará uso diário durante um período de 10 a 12 dias, a depender da indicação do médico.

Nesse período, são realizadas ultrassonografias para o acompanhamento dos folículos e da liberação e maturação dos óvulos.

Quando os folículos atingem o tamanho adequado, o último passo é a injeção hCG, que induz o amadurecimento dos óvulos para coleta, que ocorre após 36 horas.

Coleta de óvulos

Após a estimulação do amadurecimento, é realizada a coleta dos óvulos (procedimento também chamado de punção ovariana). Para isso, é introduzida uma agulha no canal vaginal guiada por ultrassonografia.

O exame de imagem permite a visualização da estrutura interna em tempo real. Essa agulha penetra nos folículos, um por um, e realiza a drenagem do líquido, que é analisado para conferir a existência ou não de óvulos maduros. 

O procedimento dura, em média, 20 minutos, dependendo da quantidade de folículos e da presença de óvulos dentro deles. É indolor, pois a paciente é submetida à sedação anestésica. Antes da coleta, os médicos recomendam jejum de oito horas.

Depois da realização, podem haver leves desconfortos em função da anestesia e na região abdominal, a depender de cada caso.

Análise

Assim que são coletados, os óvulos são levados para o laboratório, onde ocorre a análise e seleção dos melhores para a fecundação. A qualidade desses gametas depende de uma série de fatores. 

A idade da mulher é o que mais afeta a qualidade dos óvulos, já que, com o passar do tempo, a carga genética deles vai sendo alterada. É por isso que acima dos 35 anos se torna mais difícil engravidar.

Após a análise e seleção, os óvulos são preparados para a fecundação dos espermatozoides. Todo esse processo acontece no laboratório. Assim que os embriões se formam, novas análises são realizadas, e os melhores são implantados no útero para a gestação. 

Mas há os casos em que a mulher opta pela criopreservação dos óvulos, ou seja, o congelamento para uso futuro. Nesse processo, os óvulos são selecionados e analisados da mesma maneira e não chegam a ser fecundados.

Óvulos de doadoras

Para as mulheres que irão realizar a fertilização in vitro (FIV) com óvulo de doação, o procedimento é o mesmo. A diferença é que quem irá passar pela estimulação e punção ovariana não é ela, mas a doadora. 

A doação pode ocorrer em diversos casos. Para homens solteiros ou casais homoafetivos masculinos, é a única opção, enquanto para os femininos, ocorre quando uma das parceiras irá gerar os óvulos da outra, ou mesmo quando as duas não possuem óvulos disponíveis para a fecundação.

E para mulheres cujos óvulos não tenham boa qualidade ou mesmo não os produza.

Eles podem ser tanto escolhidos de banco de doadores quanto por meio da doação compartilhada de óvulos, em que receptora e doadora realizam o procedimento simultaneamente, de forma anônima.

A coleta de óvulos, também chamada de punção ovariana, é uma das etapas mais importantes da fertilização in vitro (FIV). A qualidade dos gametas é determinante para o sucesso do tratamento, por isso, é muito importante que as mulheres tenham atenção aos preparos necessários. 

Quer saber mais?

Leia também o nosso post sobre as diferentes técnicas de FIV.

Equipe Médica Revisora do Texto

Dra. Hérica Mendonça, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.

Deixar comentários