Qual é a importância da família durante o tratamento de fertilidade?

Diversos casais sonham com a possibilidade de se casar e gerar filhos. A maioria deles imagina que a gravidez virá com alguns meses de tentativas, porém essa não é a realidade de todos.

No Brasil, um em cada dez casais em idade reprodutiva é infértil, o que corresponde a 10% da população com esse perfil. Nem sempre a infertilidade possui uma causa ou um diagnóstico conhecido e um casal completamente saudável pode ser considerado infértil depois de um ano de tentativas sem sucesso.

Vulnerabilidade do casal

Grande parte dos casais que buscam algum tratamento de fertilidade, chegam às clínicas depois de meses ou até anos de tentativas de gravidez sem sucesso. Isto significa uma série de expectativas e planos frustrados, o que pode desencadear sintomas como ansiedade, estresse, insônia e até depressão.

Portanto, o processo é extremamente exaustivo para o casal e os coloca em uma posição muito sensível de fragilidade e vulnerabilidade emocional. Neste contexto, o apoio dos familiares se faz extremamente necessário.

Vulnerabilidade da família

É importante que a família esteja aberta para acolher o casal durante esta fase delicada. Porém é comum que os pais, irmãos e parentes do casal também se sintam frustrados ao longo do processo, afinal na maioria dos casos eles também se frustraram em seus sonhos de ganharem netos, sobrinhos ou primos.

Além disso, ao assistir ao casal passando por um processo de sofrimento ou frustração, a maioria dos familiares mais próximos acaba por se envolver com a situação e sofrer ou sentir junto com eles. É um processo complicado o de se afastar do problema para conseguir dar o apoio e suporte necessários.

Como a família pode ajudar

Mesmo em meio às dificuldades, existem algumas pequenas atitudes que podem fazer toda a diferença:

  • Escutar sem julgamentos

Muito provavelmente o casal que está passando por esse processo está guardando sentimentos de tristeza, melancolia e desmotivação. É muito importante que eles possam compartilhar tais sentimentos e conversar sobre o que estão passando.

Neste contexto, a família pode procurar um momento adequado para abrir esta conversa e deixar que o parceiro, a parceira ou o casal fale abertamente sobre o que estão sentindo.

É importante não criticar os sentimentos compartilhados, culpabilizar o casal por estar nesta situação ou diminuir a dor que eles estejam sentindo.

Nem sempre é preciso dar conselhos ou dizer nada, muitas vezes uma escuta silenciosa e atenciosa é o suficiente. O mais importante é oferecer um espaço para que o casal se sinta à vontade para compartilhar.

  • Aceitar as escolhas do casal

Como os familiares muitas vezes acompanham o processo, se sentem parte do que está acontecendo e sentem vontade de opinar e escolher quais serão os próximos passos ou criticar as decisões tomadas. Porém é importante compreender que o protagonista dos processos é o casal, portanto cabe a eles decidir o que fazer e como agir.

Os conselhos dos parentes podem ser muito bem vindos, desde não se esqueçam de que são pessoas de fora do processo e que não cabe a eles a decisão final.

  • Livrar-se dos preconceitos

Lidar com problemas de fertilidade, ainda nos dias atuais representa um tabu para muitos casais e vários deles têm medo de assumir isso para os familiares.

É importante que a família trate este processo com muita naturalidade e como não algo estranho ou como um tema que não pode ser comentado. Do contrário, a família estará estimulando o estigma de que a infertilidade é um tabu e o sentimento de desconforto e insegurança do casal.

  • Não procurar culpados

A infertilidade não é uma escolha do homem, da mulher, ou do casal, mas sim uma condição biológica do corpo. Portanto é importante não procurar responsáveis ou culpados para a situação.

Não faz diferença se a dificuldade vem do homem, da mulher ou dos dois, a família não deve colocar o casal nem no lugar de culpados e nem de vítimas; mas sim ajudar os dois a colocar o foco nas atitudes a serem tomadas para solucionar a situação.

Apoio financeiro

Os tratamentos de fertilidade costumam ser procedimentos complexos que demandam o uso de instrumentos modernos e tecnológicos e de uma equipe altamente qualificada. Portanto os valores destes procedimentos costumam ser altos, especialmente quando o casal precisa passar por repetidas sessões.

Os familiares podem demonstrar apoio, se unindo para apoiar o casal. Fazer uma “vaquinha” para ajudar nos custos dos procedimentos pode ser uma ótima opção, pois não pesa no bolso de apenas uma pessoa e a somatória pode ser uma quantia significativa que ajudará o casal nos procedimentos ou com o bebê.

Portanto existem formas de tornar o processo menos difícil e desgastante. Certamente se todos se unirem e se apoiarem nesta fase o processo será mais leve e tranquilo para todos e a dificuldade pode ajudar a unir e fortalecer os vínculos familiares.

Equipe Médica Revisora do Texto

Dr. Ricardo Marinho, Dra. Hérica Mendonça, Dra. Leci Amorim, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.

Deixar comentários